Racismo à flor da pele

Racismo à flor da pele

COMPARTILHE
The best hosting you'll ever have

No passado dia 29 de abril, a marca de roupa Old Navy anunciava no Twitter uma campanha de promoção para a sua loja online. Na fotografia apareciam um homem louro, uma mulher negra e um filho negro às cavalitas do pai – uma família inter-racial, como existem milhões nos EUA. O Twitter pegou fogo – não pela promoção, mas com insultos de clientes que garantiam nunca mais quererem entrar na loja por esta não defender o ideário branco. 4000 retweets somaram assim, num ápice, e deram origem a um novo tema, intitulado “America 2016, onde um casal inter-racial não pode aparecer num anúncio”. Este ultrapassou os 10.000 retweets.

Entretanto, foram muitas as reações ao anúncio da marca de roupa fundada em 1994 e detida pela Gap. A manequim que participou na campanha publicou, no seu Instagram, a seguinte mensagem: “À luz da controvérsia sobre a minha família ficcionada… Estou orgulhosa de representar o amor inter-racial, o multiculturalismo e, mais importante do que tudo isso, uma mentalidade que apoia e dá oportunidade a todas as etnias”. A Old Navy também se pronunciou em comunicado: “Somos uma marca com uma orgulhosa história de diversidade e inclusão. Na Old Navy, todos são bem-vindos”.

Muitos utilizadores aproveitaram para manifestar o seu apoio ao posicionamento da marca, postando fotografias das suas famílias inter-raciais. Nasceu a hashtag #LoveWins, a lembrar que o amor não tem cor nem raça.

mw-680

Muitos utilizadores postaram fotografias das suas próprias famílias inter-raciais, numa manifestação de apoio à Old Navy

 

Fonte: Expresso

Comentários