Prostituíram filha para pagar dívida de seis mil euros

Prostituíram filha para pagar dívida de seis mil euros

COMPARTILHE
The best hosting you'll ever have

Um casal da zona do Porto foi detido pela Polícia Judiciária do Porto por fortes suspeitas de prostituir a filha, com 17 anos, para ultrapassar graves dificuldades económicas.

Para tal, a troco de seis mil euros, deixou um empresário do ramo imobiliário praticar atos sexuais com a menor e ainda se sujeitou a entregar-lhe filmes e fotografias da família em poses pornográficas.

De acordo com a PJ, os crimes vinham sendo praticados desde há um ano. O marido é empresário, mas andava sem dinheiro. Começou por pedir emprestados cinco mil euros ao outro empresário, de 66 anos, residente em Santa Maria da Feira e proprietário de um património considerável. Depois, pediu mais mil euros.

Em contrapartida, o suposto benemérito começou por pedir fotografias da adolescente em poses pornográficas. A seguir, solicitou fotografias e filmes do casal em atos sexuais e ainda obteve autorização para fotografar a vítima em poses de cariz sexual. Por último, pediu para praticar sexo com a filha do casal a quem emprestara seis mil euros. A família aceitou e os atos sexuais foram consumados num apartamento na cidade do Porto, propriedade do empresário.

Denúncia com fotografias

O caso chegou à PJ através de uma denúncia anónima. Alguém terá tido acesso ao telemóvel do indivíduo e logrou extrair fotos da menor em poses pornográficas. A denúncia não identificava o empresário, mas a sua identidade foi descoberta durante a investigação.

Identificado o “cliente” e o casal suspeito de vender a filha para serviços de prostituição, a PJ avançou agora para detenções. Ao que soube o JN, durante as buscas foi apreendido material pornográfico que indicia que o empresário teria o mesmo tipo de atuação com outras jovens. Num dos casos detetados, a vítima tinha mais de 18 anos. A PJ investiga agora há quanto tempo decorreriam estas práticas, a fim de determinar se abrangeram algum período em que a jovem estava ainda na menoridade.

Suspeitos de crimes de pornografia infantil, recurso à prostituição e lenocínio de menor, os três detidos, com idades entre 36 e 66 anos, foram interrogados por juiz de instrução no Tribunal de Instrução Criminal do Porto, para aplicação de medidas de coação. Os três arguidos ficaram sujeitos a prisão preventiva.

Fonte: JN

Comentários